h1

Pläne Für Die Zukunft

agosto 29, 2010

Der Tag hält den Atem an, alles ist still
In den Ecken tanzt flüsternd Papier
Ein unruhiger Wind fegt durch die Straßen
Und über die Bank auf der wir vorhin saßen
Macht Halt und sucht nach dir
Aber du bist hier bei mir
Still im Auge des Sturms

Die Häuser drängen sich eng aneinander
Sie wären gern woanders als hier
Der Wind reißt gereizt alle Blätter von Bäumen
Verknotet die Schnüre an Drachen und Träumen
Sucht Halt und greift nach dir
Aber du bist hier bei mir
Still im Auge des Sturms

Die Stadt starrt geduckt in die gelbgrauen Wolken
Mit Augen die stumpf sind und matt
Ein staubiger Wind wie ein trockener Husten
Zerreißt mit fiebriger Hand den verrußten
Himmel über der Stadt

Der Wind wirft sich wütend gegen die Fenster
Er heult wie ein hungriges Tier
Der Sturm peitscht turmhohe Wellen in Pfützen
Reißt Dackel von Leinen, stiehlt Kinder und Mützen
Macht Halt und brüllt nach dir
Aber du bist hier bei mir
Still im Auge des Sturms
Sand im Auge des Sturms

h1

I’ve got no expectations To pass through here again

agosto 16, 2010

Leg mich in Ketten und zieh mich weiter
Solang ich noch Kraft hab, um mich zu wehren
Du denkst, ich folg dir, wohin du mich leitest
Ich kann meine Beine kaum noch spüren
Und du schmiedest Pläne für die Zukunft
Ich seh hier keine Zukunft, wo soll die bitte sein

Du schmiedest Pläne für den Winter
Wir haben erst September, was denkst du dir dabei?

Der Weg ist gezeichnet von Unsicherheiten
Du redest von Liebe und regst mich auf
Du sitzt hier und schmiedest an rostigen Eisen
Lass doch den Dingen ihren Lauf
Denn du schmiedest Pläne für die Zukunft
Doch wir werden in Zukunft nicht mehr zusammen sein
Du schmiedest Pläne für die Zukunft
Wir haben keine Zukunft, wir sehn es nur nicht ein

Und du schmiedest Pläne für die Zukunft
Ich seh hier keine Zukunft, wo soll die bitte sein

Du schmiedest Pläne für den Winter
Wir haben erst September, was denkst du dir dabei?

Du schmiedest Pläne für die Zukunft
Doch wir werden in Zukunft nicht mehr zusammen sein
Du schmiedest Pläne für die Zukunft
Wir haben keine Zukunft, wir sehn es nur nicht ein

h1

Don’t know why There’s no sun up in the sky Stormy weather

julho 4, 2010

Mas, de alguma forma, parece que estamos sempre falando do passado.

O passado não me interessa.

E o presente? Mal posso esperar que acabe.

É uma ‘fossa total’!

Bom, esta noite é uma exceção.

O quê?

Essa noite, sim! O presente, não!

Vamos beber a essa noite!

A essa noite.

Se o passado não conta e o presente é uma ‘fossa total’, e o futuro?

Que futuro? Cuba pode nos mandar pelos ares.

A morte é o futuro. Desculpe. Não quis ser deprimente.

Não é deprimente. É verdade. Pode não ser seu futuro imediato, mas é o que todos compartilham.

O futuro é a morte.

Acho que está certo.

Se alguém não gosta do presente, não há muita chance do futuro ser melhor.

É, já pensei nisso. Mas a verdade é que nunca se sabe.

Veja essa noite. Na verdade… Me sinto sozinho a maior parte do tempo.

Mesmo?
Sim.

Sempre me senti assim.

Nascemos sozinhos, morremos sozinho.

E enquanto estivermos aqui, estaremos totalmente vedados nos próprios corpos.

Realmente estranho.

Pensar nisso me deixa louco.

Só podemos vivenciar o mundo exterior através da percepção parcial que temos.

Quem sabe o que realmente gosta?

Só vejo o que acho que você gosta.

Sou exatamente o que aparento ser. Se olhar bem de perto.

A única coisa que fez a tudo valer a pena foram aquelas poucas vezes que fui capaz de me conectar de verdade com outra pessoa.

Tive uma intuição sobre o senhor.

- Teve?
– Sim, senhor.

De que você pode ser um verdadeiro romântico.

Sabe, todo mundo sempre diz que, quando se está mais velho, terá toda essa experiência, como algo fantástico.

Grande merda, a cada dia nos tornamos mais insensatos.

- Mesmo?
– Definitivamente, sim.

Então toda sua experiência é inútil?

Eu não diria isso.

Como diz Sr. Huxley: (Aldous Huxley, “After Many a Summer”)

“A experiência não é o que acontece ao homem, é o que homem faz com que aconteça a ele.”

h1

French Navy

maio 6, 2010

A boa música nunca se engana, e vai direita, buscar ao fundo da alma o desgosto que nunca devora.

Stendhal

h1

Love, Love will tear us apart again.

maio 2, 2010

A palavra de hoje é a sorte. Sorte para quem precisa, sorte para quem sonha, sorte para quando tudo dá errado e em uma noite tudo vira possível. A noite começou apenas com uma expectativa pautada em Breath do Pearl Jam, mais precisamente seu refrão: “Oh, tonight began with anything. Shaft of a light. A warm breath and a screa”. Diga-se de passagem toda vez que eu estou em um sábado que pode ser promissor penso nessa música.

Sim, é verdade, eu estava em um sábado. Entretanto, quando o Nouvelle Vague subiu ao palco já era madrugada de domingo. Talvez, seja um romantismo da minha parte querer que os versos de Sábado de Vinícius de Moraes exalem sua idiossincrasia de possibilidades para a madrugada de domingo. Mas, sincereamente, é possível, afinal de contas, o sábado é um dia tão maravilhoso que empresta seu mar de possibilidades até o dia amanhecer no domingo.

Talvez, isso explique o porquê dessa noite tão maravilhosa regada a boa música, e tamanha empolgação do Nouvelle Vague. Ver a Helena Nogueira tirar o vestido, e cantar de regata e calcinha. Sem falar o fato que a banda fez um Encore Break em “Love will tear us apart”, mas o Nouvelle Vague não esperava que o público corresponde-se e continuasse cantando o refrão: Love, Love will tear us apart again… E o guitarrista Marc Colins quando chega no camarim assanha os cabelos, como se não acreditasse que isso era possível em um público brasileiro. Então, como não poderia deixar de ser eles voltam para o palco e continuam da onde pararam. E quando eu pensava que esse seria o momento mais apoteótico do show, que por sinal minha máquina não conseguiu gravar, pois acabou o memory stick. Eis que a Karina Zeviani com suas palmas desse do palco, diante de uns degraus improvisados com caixas de guardar material para a turnê, pula a grade e vai cantar no meio da multidão.

Bem, com toda certeza, um dos momentos apoteóticos do show. Além de que, a presença de palco das cantoras Karina Zeviani e Helena Nougueira é mais do que um espetáculo, pois se nos albums o Nouvelle Vague presa por um cuidado exarcebado em seus arranjos, melodias e interpretações de covers, fazendo covers magníficos. Ao vivo eles superam todas as expectativas, seja com o balet de suas cantoras, seja por conseguir soar ainda melhor ao vivo.

E quando eu imaginava que nada mais poderia me acontecer, bem tudo ainda pode ser possível, enquanto o dia não raiar, pois será sábado. Eu consegui a set list do show, e a Karina Zeviani a autografou pra mim. Como também um dos idealizadores do projeto Nouvelle Vague, nada mais nada menos que Marc Colins. E tirar fotos com os dois. Definitivamente, eu me tornei um groupie dessas bandas. Querendo, fotos, autógrafos momentos únicos que eu não imaginaria ser possível quando me encontro em alguns sábados ouvindo músicas dessas bandas. Definitivamente, as bandas “indie” ou independentes são muito mais acessíveis e receptivas que as grandes bandas do rock atual.

Na semana em que levei mais marteladas do que nunca, vi o Barcelona ser eliminado pela Inter de Milão e todos o criticarem. Sonhei acordado em um show do Nouvelle Vague. Sobretudo, vi a minha sorte mudar, muito provavelmente porque “ainda” era sábado. Je vous remercie beaucoup pour le spectacle incroyable à Recife.

h1

Hey Loyd Im ready to be Heart Broken

abril 28, 2010

Porque, sem rir é mais fácil sonhar. Então, sonho acabou? Ou sorriso “de la afición Blaugrana” foi embora? O que era felicidade tornou-se tristeza? Não, de forma categórica a todas as perguntas. Se há tristeza que seja apenas na música “Tristeza”, e que por favor vá embora pra ontem. Todos sabiam que um dia esse momento chegaria. Em 20 anos de torneio nenhum time conseguiu revalidar seu título na Liga dos Campeões da Europa. É fato que o time acusou o cansaço graças a um vulcão que gerou um caos aéreo. Sim, que se não tivessem viajado 14h de ônibus o resultado poderia ter sido mais curto. Sem dúvida nenhuma. Mas isso não é desculpa, nunca foi e não será. Nem mesmo o gol em impedimento de Diego Milito. Até porque, Piqué também marcou em impedimento, ficamos tudo elas por elas.

Que o Barça não se classificou para a final pra mim já é passado. Presente mesmo é o orgulho que eu tenho desse time. Quando ele perde assim mesmo é grande. O jogadores disseram que deixariam a sua pele em campo. O treinador disse que seriam eles mesmos, o que significa que sairíam para atacar. E ninguém pode dizer que isso tudo não aconteceu hoje. Que ele diga que não houve continuidade ao ataque ainda assim não é demérito de ninguém. E sinceramente hoje eu vi um dos mosáicos mais belos do Camp Nou.

Concordo com Mohandas Gandhi quando ele disse: ” A satisfação está no esforço e não apenas na realização final”. Bem, ninguém pode dizer que eles não se esforçaram que a praticamente 1 ano eu só tive alegrias com Barça. Quando pra variar nada dava certo a minha volta, o Barça ganhava de tudo e de todos. Sou grato imensamente, e sou convicto em dizer, próxima temporada tem mais. Admito que sou um Homem de pouca fé, mas se tem algo que pode dar certo é este time.

Hoje é apenas um dia daqueles para recordar quando o Barça for campeão de novo. Não faço idéia de quanto tempo isso voltará a acontecer. Mas sei que o Barça seguirá sendo ele mesmo como disse Josep Guardiola. E agora finalmente, apesar de ainda haver a liga, eles vão embora da Champions sin nadie poder reprochar-los.

h1

Assim Sem Fim

abril 23, 2010

Wer immer verliert, muss irgendwann gewinn’.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.