h1

Més que un Club

maio 28, 2009

Maio é o mês em que se conhece os campeões europeus. Todos os campeonatos chegam ao final e as melhores equipes se dão a conhecer. Contudo, em 27 de maio de 2009, a palavra impressionante se tornou por demasiada fraca para descrever um feito que apenas 5 equipes lograram. Quero dizer, que apenas Celtic (1966-67), Ajax (71-72), PSV Eindhoven (87-88) e por último Manchester United (98-99), conseguiram ganhar todas as competições que disputaram numa mesma temporada.

O Barcelona na temporada (2008-2009) alçou a glória e se juntou a estes times conquistando o triplete. Mostra bem o espírito com que afrontou a esta final a seguinte assertiva: Del “salid y disfrutad” de Cruyff en el 92 pasamos al “demostrad lo buenos que sois” que Guardiola disse ontem a seus jogadores.

Eu dizia em 2 de maio que o Barcelona se expressava como um grande poeta rumo a sua epopéia. Também escrevi meio descrente que aquele Barça seguia os mesmos passos daquele time campeão na temporada 2005-2006 em que fez uma grande partida no Santiago Bernabeu. A verdade veio a se comprovar hoje. Contra os fatos não há o que se argumentar.

E com maior grandeza do que nunca recitaram sua poesia ante um Manchester United sem vestígios do grande campeão que foi a temporada passada. Confesso, que por ser um Homem de pouca fé, eu preciso presenciar os fatos para poder acreditar neles.

Justamente, por isso, não escrevi sobre o Barça quando eles ganharam do Athetic Bilbao de virada na final da Copa do Rei, ou também quando conseguiram a Liga BBVA após o Madrid perder para o Vilarreal. Não gosto de comemorar as coisas antes, nem faço muitos alardes quando as vitórias chegam, mas confesso que o durante que dura o lapso de tempo das conquistas a loucura desata.

Quem diria que os primeiros 10 minutos quem mandaria no jogo seria o Manchester United. Ou, talvez, que no décimo minuto Iniesta faria um passe para Samuel Eto´o e este marcaria um gol, recortando a zaga menos vazada de toda Europa, iniciando o fim da máquina movedora do teatro dos sonhos. Também se diga que Samuel Etoo havia avisado se tivesse a oportunidade faria o gol. Cumplió su palabra el camerunés: “Si tengo una en Roma, la meteré”. Dicho y hecho.

Durante a final, o Barça foi ele próprio como havia dito Josep Guardiola. Sem dúvida uma equipe com selo de identidade. Quem iria imaginar um triplete quando há um ano atrás o Barça fazia um pasillo ao Real Madrid. Ou, quiçá um começo de temporada em que perdeu a primeira, empatou a segunda e quase perde a terceira para o o Español.

Entretanto, Pep ja o havia avisado, “sem ambição não haverá opção”. Um dos responsáveis por este dia sem dúvida é Pep Guardiola acostumado a dizer que ele sem o talento de Xavi, Iniesta, Messi e companhia não seria nada. Contudo, é justo dizer que provavelmente eles sem Pep não seriam o que são tão pouco. Com Pep o Barça pode dizer em ROMA “VINI, VIDI, VINCI”.

Mais do que justo para um garoto que iniciou sua vida no Barça sendo gandula e festejava as vitórias do Barça ao lado de Victor Muños. Passou a ser hoje um dos principais artífices da melhor temporada de todos os tempos do clube de seus amores.

O céu é Azul e Grinard desde este 27 de maio. Os heróis do Futebol Clube Barcelona elevaram aos altares da história a Terceira Copa da Europa, a conquista que faltava ao “Pep TEAM” para proclamar seu Império, o Reino dos Céus BlauGrana. O velho continente se rende mais uma vez ao Barça, uma equipe melhor do que o sonho que a criou, eleita para marcar uma época e ser uma lenda do futebol.

O Manchester representou um gladiador derrotado no Olímpico de Roma, ante um autêntico olhar de um César. ‘Los que van a morir te saludan’. Como ocorria no Coliseo que dominava o César, o Barça também já conhecia seu final. A vítima sofreu os golpes das armas Blaugrana e acabou sendo devorada, depois de se render e mostrar respeito para o resto dos seus dias.

Os diabos vermelhos não escaparam de uma final que tinham marcado com o César Blaugrana, sentenciado desde seu trono. Seu fim era anunciado e já conhecido por um MESSIas. Corria o minuto 70 da final de Roma quando um MESSI subiu sozinho a uma altura inimaginável para um jogador de apenas 1,69. Hoje não se duvida mais que Messi é melhor que Cristiano Ronaldo. Fato que os culés já sabiam desde o ano retrasado. Como também, não há mais o mito que o Barcelona não ganha de time inglês com 11 em campo.

Hoje, o Barcelona, apesar de clamar, ser mais de que um clube (Mes que un club), é sem dúvida MAIS do que uma equipe. Sem exitar, como Pep afirmou também não é o melhor time da história, mas eles jogaram a melhor temporada de sua história, ganhando os três títulos e da forma que jogaram. Quiçá esse seja o ápice de seu império, mas sem dúvida ROMA mais uma vez na história pode presenciar diante de um CAESAR: “Al César lo que es del César. El fútbol tiene un Emperador que habla catalán y español.”


<!–[if !mso]> <! st1\:*{behavior:url(#ieooui) } –>

Maio é o mês em que se conhece os campeões europeus. Todos os campeonatos chegam ao final e as melhores equipes se dão a conhecer. Contudo, em 27 de maio de 2009, a palavra impressionante se tornou por demasiada fraca para descrever um feito que apenas 5 equipes lograram. Quero dizer, que apenas Celtic (1966-67), Ajax (71-72), PSV Eindhoven (87-88) e por último Manchester United (98-99), conseguiram ganhar todas as competições que disputaram numa mesma temporada.

O Barcelona na temporada (2008-2009) alçou a glória e se juntou a estes times conquistando o triplete. Mostra bem o espírito com que afrontou a esta final a seguinte assertiva: Del “salid y disfrutad” de Cruyff en el 92 pasamos al “demostrad lo buenos que sois” que Guardiola disse ontem a seus jogadores.

Eu dizia em 2 de maio que o Barcelona se expressava como um grande poeta rumo a sua epopéia. Também escrevi meio descrente que aquele Barça seguia os mesmos passos daquele time campeão na temporada 2005-2006 em que fez uma grande partida no Santiago Bernabeu. A verdade veio a se comprovar hoje. Contra os fatos não há o que se argumentar.

E com maior grandeza do que nunca recitaram sua poesia ante um Manchester United sem vestígios do grande campeão que foi a temporada passada. Confesso, que por ser um Homem de pouca fé, eu preciso presenciar os fatos para poder acreditar neles.

Justamente, por isso, não escrevi sobre o Barça quando eles ganharam do Athetic Bilbao de virada na final da Copa do Rei, ou também quando conseguiram a Liga BBVA após o Madrid perder para o Vilarreal. Não gosto de comemorar as coisas antes, nem faço muitos alardes quando as vitórias chegam, mas confesso que o durante que dura o lapso de tempo das conquistas a loucura desata.

Quem diria que os primeiros 10 minutos quem mandaria no jogo seria o Manchester United. Ou, talvez, que no décimo minuto Iniesta faria um passe para Samuel Eto´o e este marcaria um gol, recortando a zaga menos vazada de toda Europa, iniciando o fim da máquina movedora do teatro dos sonhos. Também se diga que Samuel Etoo havia avisado se tivesse a oportunidade faria o gol. Cumplió su palabra el camerunés: “Si tengo una en Roma, la meteré”. Dicho y hecho.

Durante a final, o Barça foi ele próprio como havia dito Josep Guardiola. Sem dúvida uma equipe com selo de identidade. Quem iria imaginar um triplete quando há um ano atrás o Barça fazia um pasillo ao Real Madrid. Ou, quiçá um começo de temporada em que perdeu a primeira, empatou a segunda e quase perde a terceira para o o Español.

Entretanto, Pep ja o havia avisado, “sem ambição não haverá opção”. Um dos responsáveis por este dia sem dúvida é Pep Guardiola acostumado a dizer que ele sem o talento de Xavi, Iniesta, Messi e companhia não seria nada. Contudo, é justo dizer que provavelmente eles sem Pep não seriam o que são tão pouco. Com Pep o Barça pode dizer em ROMA “VINI, VIDI, VINCI”.

Mais do que justo para um garoto que iniciou sua vida no Barça sendo gandula e festejava as vitórias do Barça ao lado de Victor Muños. Passou a ser hoje um dos principais artífices da melhor temporada de todos os tempos do clube de seus amores.

O céu é Azul e Grinard desde este 27 de maio. Os heróis do Futebol Clube Barcelona elevaram aos altares da história a Terceira Copa da Europa, a conquista que faltava ao “Pep TEAM” para proclamar seu Império, o Reino dos Céus BlauGrana. O velho continente se rende mais uma vez ao Barça, uma equipe melhor do que o sonho que a criou, eleita para marcar uma época e ser uma lenda do futebol.

O Manchester representou um gladiador derrotado no Olímpico de Roma, ante um autêntico olhar de um César. ‘Los que van a morir te saludan’. Como ocorria no Coliseo que dominava o César, o Barça também já conhecia seu final. A vítima sofreu os golpes das armas Blaugrana e acabou sendo devorada, depois de se render e mostrar respeito para o resto dos seus dias.

Os diabos vermelhos não escaparam de uma final que tinham marcado com o César Blaugrana, sentenciado desde seu trono. Seu fim era anunciado e já conhecido por um MESSIas. Corria o minuto 70 da final de Roma quando um MESSI subiu sozinho a uma altura inimaginável para um jogador de apenas 1,69. Hoje não se duvida mais que Messi é melhor que Cristiano Ronaldo. Fato que os culés já sabiam desde o ano retrasado. Como também, não há mais o mito que o Barcelona não ganha de time inglês com 11 em campo.

Hoje, o Barcelona, apesar de clamar, ser mais de que um clube (Mes que un club), é sem dúvida MAIS do que uma equipe. Sem exitar, como Pep afirmou também não é o melhor time da história, mas eles jogaram a melhor temporada da história, ganhando os três títulos e da forma que jogaram. Quiçá esse seja o ápice de seu império, mas sem dúvida ROMA mais uma vez na história pode presenciar diante de um CAESAR: “Al César lo que es del César. El fútbol tiene un Emperador que habla catalán y español.”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: