Archive for the ‘Poesia’ Category

h1

Love, Love will tear us apart again.

maio 2, 2010

A palavra de hoje é a sorte. Sorte para quem precisa, sorte para quem sonha, sorte para quando tudo dá errado e em uma noite tudo vira possível. A noite começou apenas com uma expectativa pautada em Breath do Pearl Jam, mais precisamente seu refrão: “Oh, tonight began with anything. Shaft of a light. A warm breath and a screa”. Diga-se de passagem toda vez que eu estou em um sábado que pode ser promissor penso nessa música.

Sim, é verdade, eu estava em um sábado. Entretanto, quando o Nouvelle Vague subiu ao palco já era madrugada de domingo. Talvez, seja um romantismo da minha parte querer que os versos de Sábado de Vinícius de Moraes exalem sua idiossincrasia de possibilidades para a madrugada de domingo. Mas, sincereamente, é possível, afinal de contas, o sábado é um dia tão maravilhoso que empresta seu mar de possibilidades até o dia amanhecer no domingo.

Talvez, isso explique o porquê dessa noite tão maravilhosa regada a boa música, e tamanha empolgação do Nouvelle Vague. Ver a Helena Nogueira tirar o vestido, e cantar de regata e calcinha. Sem falar o fato que a banda fez um Encore Break em “Love will tear us apart”, mas o Nouvelle Vague não esperava que o público corresponde-se e continuasse cantando o refrão: Love, Love will tear us apart again… E o guitarrista Marc Colins quando chega no camarim assanha os cabelos, como se não acreditasse que isso era possível em um público brasileiro. Então, como não poderia deixar de ser eles voltam para o palco e continuam da onde pararam. E quando eu pensava que esse seria o momento mais apoteótico do show, que por sinal minha máquina não conseguiu gravar, pois acabou o memory stick. Eis que a Karina Zeviani com suas palmas desse do palco, diante de uns degraus improvisados com caixas de guardar material para a turnê, pula a grade e vai cantar no meio da multidão.

Bem, com toda certeza, um dos momentos apoteóticos do show. Além de que, a presença de palco das cantoras Karina Zeviani e Helena Nougueira é mais do que um espetáculo, pois se nos albums o Nouvelle Vague presa por um cuidado exarcebado em seus arranjos, melodias e interpretações de covers, fazendo covers magníficos. Ao vivo eles superam todas as expectativas, seja com o balet de suas cantoras, seja por conseguir soar ainda melhor ao vivo.

E quando eu imaginava que nada mais poderia me acontecer, bem tudo ainda pode ser possível, enquanto o dia não raiar, pois será sábado. Eu consegui a set list do show, e a Karina Zeviani a autografou pra mim. Como também um dos idealizadores do projeto Nouvelle Vague, nada mais nada menos que Marc Colins. E tirar fotos com os dois. Definitivamente, eu me tornei um groupie dessas bandas. Querendo, fotos, autógrafos momentos únicos que eu não imaginaria ser possível quando me encontro em alguns sábados ouvindo músicas dessas bandas. Definitivamente, as bandas “indie” ou independentes são muito mais acessíveis e receptivas que as grandes bandas do rock atual.

Na semana em que levei mais marteladas do que nunca, vi o Barcelona ser eliminado pela Inter de Milão e todos o criticarem. Sonhei acordado em um show do Nouvelle Vague. Sobretudo, vi a minha sorte mudar, muito provavelmente porque “ainda” era sábado. Je vous remercie beaucoup pour le spectacle incroyable à Recife.

Anúncios
h1

I´ll stop the world and melt with you You´ve seen the difference and it´s getting better all the time

abril 6, 2010

Era uma vez um garoto pequeno e com problemas de crescimento. Sua família pobre não podia pagar seu tratamento, até que apareceu uma certa equipe chamada Barcelona F.C. Diziam que ele nunca serviria para jogar futebol, não possuía físico adequado, tamanho… Durante este tempo o pobre garoto apenas se mantinha calado, introspectivo deixando os outros falarem. Quando chegou ao Barcelona e se apresentou a Carles Rexach, o mesmo que já foi técnico do Barcelona em uma dessas temporadas apagadas do Barça, o garoto foi contratado imediatamente… Seguiu um bom tempo na “cantera”, curiosamente a torcida culé não via grandes títulos serem conquistados…

Mas o garoto cresceu e segue crescendo, diga-se de passagem não muito em relação ao seu tamanho, mas sim quanto a sua reputação. Seu nome é Lionel Messi, provavelmente a imprensa o chama de Deus do futebol, mas com apenas 22 anos ainda possui um grande caminho a percorrer. Prefiro dizer que hoje ele se doutorou como Herói, e com todas as deferências que o mundo acadêmico pode oferecer, desde a laúrea até o sentimento indescritível o qual a nossa própria linguagem se torna limitada para escrever sobre o Messi(as). Sua façanha carregar o barcelona nas costas e ser o jogador mais jovem a marcar 4 gols na liga dos campeões igualando-se a Rivaldo.

Em uma dessas suas aparições históricas hoje contra o Arsenal a imprensa espanhola escreve sobre ele:

“¿Y ahora cómo lo explico eso? Esa es la pregunta que se hace el periodista cuando tiene que narrar otro, el enésimo recital, la enésima exhibición, el no va más, el… de un jovencito de 22 años que está dispuesto a hacer sufrir a los rivales que tiene por delante y a los periodistas que tenemos que explicarlo. El resto del mundo, eso si, se lo pasa pipa con él.” Sport.es

Si lo inefable es lo que no se puede explicar con palabras, Messi ya es inefable. Y si el fútbol es carácter y seda, hambre y arte, Messi es el fútbol. Messi es absoluto y a veces todopoderoso; O lo parece. En esas ocasiones es un equipo: Messi Club Barcelona. Así es este Barça, que a veces mata con exhibiciones corales y juego de geometría poética y otras se pone en manos de un jugador que es hoy por hoy superior, excelso y letal. Un asesino que pinta Picassos, un ejecutor que maneja ya todos los hilos del juego en ruta a convertirse en el jugador total por pura definición.” As.com

“Porque Wenger ató cabos pero no pudo, nadie puede, gobernar lo ingobernable.” As.Com

“La mayoría para Leo Messi, claro. Un jugador excepcional que parece estar escribiendo un capítulo de la historia del fútbol cada vez que salta al campo. Un peligro para los rivales, el siguiente en Champions el Inter, y una delicia para el Barcelona, que sin él es mucho pero con él es pluscuamperfecto, un campeón a dos partidos, una eliminatoria, de defender corona en la gran final. Fácil, difícil, duro, probable… posible. Con Messi todo es, siempre, posible para el Barça. Messi Club Barcelona.” Sport. es

“Messi descendió del cielo para poner las cosas en su sitio. Bendtner marcó el 0-1 y todo se acabó para el Arsenal, víctima de otro partido sobrehumano de Leo Messi, autor de los cuatro goles de su equipo. El argentino protagonizó una actuación descomunal guiando al Barça a semifinales, donde espera el Inter de Mourinho.” Marca.com

Messi não segue o caminho de Ronaldinho Gaúcho, que se contentou apenas em ser humano. Hoje ele é um herói tal qual aqueles da Mitologia Grega, especialmente na melhor moda de um Percy Jackson, filho de Posseidon. Sem dúvida está no caminho certo, quando faltar as palavras a serem ditas sobre suas atuações é que de fato não estará mais entre os mortais, apenas os Deuses poderão se reportar ao Messias filho de Hermes. Anunciando sua chegada ao monte Olimpo.

h1

Se a sorte lhe sorriu porque não sorrir de volta? Você nunca olha a sua volta…

dezembro 6, 2009

If you let your feelings go, dear
It’s scary what you’ll find
I find, I’m on your street, dear
And you’re always on my mind

And no one need to know
That you let me in tonight
That you let me see the world
That you let me see the world
Behind your eyes

I want to see us work, dear
To reach the other side
Our treachery is love, dear
We’re on both ends of the fight

We’re fighting for ourselves
Fighting for our lives
Would you let me see
The world behind your eyes

And no one needs to know
How scared we are tonight
Would you let me see the world
Behind your eyes

h1

Just Breathe

setembro 28, 2009

Que tal essa idéia ? Vamos escrever as canções antes de nós as gravarmos. Foi isso que o Pearl Jam fez no novo álbum recém lançado em 20 de setembro de 2009. Quanto a seus significados o próprio Eddie confessa que as canções não possuem apenas um  significado, não necessariamente significam isso ou aquilo, elas simplesmente não precisam ter um sentido hérmetico, fechado
em si mesmo.

Não havia nenhuma antecipação do que seria feito até início das faixas. Apenas cada pedaço foi sendo colocado e acontecendo essa estranha quimica que se manifesta no álbum.

Mike McCready explica o título do disco. “Backspacer’ é uma referência à tecla das antigas máquinas de escrever. Tem a ver com voltar, olhar para trás e ver a sua vida em retrospectiva.” Afinal de contas, as máquinas de escrever de antigamente possuíam nos anos 40 ou 30 a palavra backspacer em vez de Backspace.

Atualmente nem mais isso tem, apenas uma seta indicando pra esquerda. Simplesmente delete e não olhe para seu erro, esqueça dele. Mas, na máquina de escrever com backspacer, a pessoa tinha que perceber o seu erro.

Neste álbum há uma disposição retrospectiva do que foi gravado, onde o Eddie está olhando tanto para seu passado, como para seu presente.

1. Gonna See My Friends
(Vedder)

Do you want to hear something sad?
we are but victims of desire
I’m gonna shake this day
I wanna shake this day before I retire

Fugindo a regra o Pearl Jam fez um álbum alegre. Afinal de contas, o Bush, já não está mais no poder. Gonna See my Friends poderia ser uma dessas músicas inspiradas no ex-presidente… Afinal de contas, Bush os inspirou em excelentes músicas e pelo menos 2 discos. A música que abre o álbum é contagiante, seu solo inicial no melhor estilo Beach Boys lembra a aura surfista bem tropical de Wipe Out.

Sem falar, que é um claro indício da passagem de uma fase angustiante do Pearl Jam. Como diz a última estrofe vamos agitar este dia antes que eu me aposente. Como disse o Eddie: “As vezes quando você fica velho procura-se o focu para manter sua vitalidade”. Há uma clara prova que é possível manter a energia de anos atrás.

2.  Got Some
(Vedder, Ament)

Every night with the lights out, where you gone?
What’s wrong
Overtime you can try but can’t turn on your rock song

Got some if you need it

A música com um groove new wave dos anos 80. Eddie a chama “Drug Song”. Mas foi feita pensando sobre ir ver um amigo que está com o vício das drogas, mas se descobre que o traficante está vendendo uma ótima música de rock. Sua entrada é com um solo ao melhor estilo do Mike, contudo o que dá o tom da música é a bateria do Matt, soando mais forte.

3 The Fixer
(Vedder, McCready, Gossard, Cameron)

When something’s dark, lemme shed a little light on it
When something’s cold, lemme put a little fire on it
If something’s old, I wanna put a little shine on it
When something’s gone, I wanna fight to get it back again

When something’s broke, I wanna put a bit of fixing on it
If something’s bored, I wanna put a bit exciting on it
When something’s low, I wanna a little high on it
When something’s lost, I wanna fight to get it back again

A canção da esperança do Pearl jam. Inspirada em pessoas que sempre querem melhorar algo. Serviu de inspiração para todo o álbum. Segundo Stone a canção mostra como a banda trabalha e como conseguir lidar com as contribuições de todo mundo. Se coloca toda a fé em Eddie o diretor artistico da banda que termina por organizar todas as colaborações.

EU confesso que demorei a me acostusmar com essa música. Apesar, de ser o primeiro single achei estranho, diferente de tudo que o Pearl Jam vinha fazendo. Como também, não gostei do Yeah Yeah em seu refrão. Entretanto, Pearl Jam é Pearl Jam e hoje é um hit que eu adoro, com suas guitarras e o próprio ímpeto que a banda dedica a essa canção.

Comentários sobre a música:

The fixer é um grande exemplo. Você ouve sobre a personalidade do Eddie na letra e assim consegue ter uma visão, que muita gente não tem dele, tanto quanto otimista e divertida letra e melodia.

“We used to think with music that we could save the  world, but now we’re old enough and wise enough to know that all we can change is our community.”

“It can feel like a curse, because it makes you push yourself to make things better and not allow them to be easy. That’s how you get the good stuff.”

4 Johnny Guitar
(Vedder, Gossard, Cameron)

I hide my disappointment
Cause for years i had been hoping
That when she came,
She’d be coming just for me

Outra canção que mostra bem o desejo de Esperança que foi tomado o Pearl Jam. Sem dúvida há uma ironia, pois apenas dizer que as coisas virão com o seu tempo, ou “tudo ao seu tempo” é simplesmente nomear o tempo como diria Martin Heidegger.

Acredito que a ironia está no final, pois esconder os desapontamentos acreditando na esperança e quando esta chega ser unicamente por causa de quem acreditava é díficil de crer. Gosto muiiiiito do seu refrão e da parte final me deu a idéia de colocar as coisas em perspectivas.

Vedder was inspired to write the lyrics for “Johnny Guitar” after viewing a collage of album covers that is pasted on the bathroom wall of the band’s rehearsal space. He noticed the album cover for Johnny “Guitar” Watson’s 1979 album, What the Hell Is This?, and imagined a man who becomes attracted to one of the various women on the cover and then wonders why this woman would rather be one of Watson’s many girlfriends instead of his only one.

5 Just Breathe
(Vedder)

Yes I understand that every life must end, aw huh
As we sit alone, I know someday we must go, aw huh
I’m a lucky man to count on both hands
The ones I love..

Some folks just have one,
Others they got none, aw huh..

Did I say that I need you?
Oh, did I say that I want you?
Oh, if I didn’t now I’m a fool you see..
No one know this more than me
As I come clean

Pronto, neste momento começa as três faixas que dão personalidade ao BackSpacer. Mesmo reconhecendo The Fixer como inspiradora, essas três canções colocadas nesta ordem fazem do BackSpacer um albúm com presença suficiente para dizer “vim, vi e estou vencendo”. Just Breathe é a canção mais doce do álbum, feita com a base de Toulome presente na trilha sonora de Into the Wild (Na natureza Selvagem).

É impossível ouvir apenas uma vez é apaixonante, se não for amor a primeira vista, vai ser a segunda e quiçá a terceira, pois na terceira vez já há serotonina pra dar e vender. O Pearl Jam inova no momento em que a coloca como um dedilhado sensacional, nunca feito antes. Há uma influência folk muiiiiito bem vinda ao Pearl Jam. E os violinos dão um colorido idiossincrático a faixa tornando-a sinestésica.

Eddie Vedder a descreve como a canção mais próxima do maior amor que já se teve. Dizendo que seu sentido paira sobre os acontecimentos mais felizes que as pessoas vivem, quando elas deveriam sentir o momento e respirar por um minuto. Sem sombra de dúvida uma faixa que emociona e entra de vez no setlist da banda por ser adorada, sem falar que seu estilo lembra Thumbing My Way (back to heaven). Em Just Breathe estão abertas as portas do céu.

6 Amongst The Waves
(Vedder, Gossard)

If not for love i would be drowning
I’ve see it work both way, but i am up

Riding high amongst the waves
I can feel like i
Have a soul that has been saved
I can feel like i
Put away my early grave

Gotta say it now
Better loud
That too late

Remember back the early days
When you were young & thus amazed

Essa música me lembra de alguma forma Marker in the Sand do último album. Se em Marker in the Sand há a revolta com as coisas acontecendo de uma forma inusitada e sentindo o averso das coisas caindo, Amongst The Waves revela o alívio por ter se sustentado no amor e como valeu a pena seguir o próprio caminho. Sempre lembrando os dias do ínicio quando se era jovem e
mais deslumbrado com as coisas.. Também me lembra Marker in the Sand, porque nesta o ritmo é de um tipo durante os versos e outro completamente diferente durante o refrão, fato presente em Amongst The Waves.

Para o Pearl Jam a canção é sobre ondas, surf e o amor. Não há nada que seja sempre bom. Como também, para se escrever algo se tem que nadar para fora de certas águas. O que denota ser uma canção voltada a colocar as coisas em perspectiva.

‘Everything flows amongst the waves’. It’s surfing, a time when there is something liberating and a person knows they are alive. You have to remember that human beings are made up of about 80% water… Every time I go to the shore I feel like a newborn.

7 Unthought Known
(Vedder)

Feel the path of every day…which road you taking?
Breathing hard… & making hay… yeh this is living…

Feel the air up above… a pool of blue sky…
Fill the air up with love… black with starlight…..

Feel the sky blanket you… w/gems & Rhinestones…
See the path cut by the moon.. for you to Walk on…
For you to walk on…

See the path cut by the moon.. for you to walk on…
See the waves on distant shores… anything your arrival…

Dream the dreams of other men… you’ll be no ones rival…
Dream the dreams of others then… you will be no ones rival…
You will be no ones rival…

A distant time… a distant space… that’s where we’re living…
A distant time… a distant place… so what you giving?…
What you giving?

Uma canção com montanhas e vales. Inspirada numa conversa sobre o cérebro, os seres humanos e a forma como nós e os nossos filhos nos relacionamos com diferentes ambientes. Sabe aquelas pessoas que fazem planos, imaginam uma vida completamente diferente para si próprios, mas esquecem como isso pode ser construído? Sem dúvida uma balada encorajadora em pegar ar e sentir o que está a sua volta, a contemplação do simples e sempre efetivo.

Com a parte que fala de sonhos onde afirma:

Sonhe os sonhos de um outro homem ou sonhe os sonhos dos outros e não se irá ser o rival de ninguém…

Lembrei de um diálogo do Ramiro Cadore no último capítulo da novela Caminho das Índias. Quando ele apoiava o casamento do Tarso com a Tônia. E ele dizia: é melhor eles seguirem o próprio caminho, descobrirem que erraram do que colocar a culpa em nós que quisemos escolher por eles. Fica a lição por sempre querer decidir e assumir a responsabilidade por isso… é melhor viver pelos próprios sonhos e descobrir que se pode estar errado, do que viver das opções e erro dos outros, definitivamente não se está vivendo.

Como diz a música sinta o caminho de todos os dias, que rota você está tomando? Respire fundo, faça hay… é vc está vivendo… E se vc contempla o simples poderá sentir uma piscina que o seu azul fornece como também a distância no tempo, como no espaço e onde se está vivendo.

8 Supersonic
(Vedder, Gossard)

Yeah i been dreaming of getting along
Now i’m awake, dreaming keep it on keeping on
I catch a break, then a punch to the head
I smile big wih a toothless grin

Supersonic gone & took my soul
I caught the rhythm but the clock was slow yeh
Supersonic, truth be told
I don’t need you to live, but i’ll never let you go

Supersonic é a prova da influência dos Ramones sobre o Pearl Jam. Sendo puro punk Rock trata dos adoradores da música, o seu poder e aquilo que ela pode fazer por ti. Soa agridoce para mim, ainda preciso me acostumar com seus detalhes e entonações…

9 Speed of Sound
(Vedder)

Yesterdays, how quick they change
All lost and long gone now

It’s hard to remember any thing
Moving at the speed of sound
Moving with the speed of sound

And yet I’m still holding tight
To this dream of distant light
And that somehow I’ll survive

De acordo com Eddie Vedder é a música tirada da perspectiva de um homem que ainda está sentado num bar após todos irem embora e aduz que é uma música triste. É uma balada triste constituindo uma exceção ao albúm. Acredito tratar de uma canção sobre pessoas que não gostam de mudanças, pois abre afirmando que nos dias passados o quão rápido eles mudam, tudo havia sido perdido se movendo a velocidade do som.

Apesar de ser triste é uma canção calma no ritmo de uma balada, como se fosse a volta a uma fase mais calma depois da intensidade da onda de Supersonic. É pautada com riffs de guitarras e um dedilhado de fundo em algumas partes que dão carisma e personalidade a música.

10 Force of Nature
(Vedder, McCready)

One man stands the edge of the ocean
A beacon on dry land
Eyes upon the horizon

In the dark before the dawn

Seu título original era Distant Planet. As tônicas dessa música são suas guitarras que iniciam, assumem uma progressão e voltam a soar como no ínicio. Não é uma das minhas favoritas no álbum, mas há partes consideráveis quando assumem uma sonoridade mais fluída com um tempod e bateria bem familiar nessas bandas de garagem… Mas, o solo do Mike é considerável e impossível de pelo menos não gostar dessa parte.

11 The End
(Vedder)

What were all those dreams we shared
Those many years ago?
What where all those plans we made
Now left beside the road?
Behind us in the road

More than friends I always pledged
Cause friends they come and go
People change and does everything
I wanted to grow old
This one too grow old

My dear
The end
Comes near
I’m here
But not much longer

Com um dedilhado que até Just breath não era comum na música do Pearl Jam The End é um resquício de Into the Wild e Big FIsh juntos. A temática pode ser resumida nessa frase: “A unica constante é a mudança”. “The End” foi descrita como uma canção de um amor sofrido. Para mim é a canção que desfaz o sonho e o confronta com a realidade. Ao falar dos planos feitos para a vida e que foram deixados de lado da estrada e ficaram para trás.

Sua segunda estrófe é profunda e forte quando declara o desejo de ser mais do que amigos. Pois, amigos sempre vão e vem. Como também trata das mudanças que as pessoas realizam em suas vidas depois de algum tempo.

Está presente a temática do amadurecimento iniciada em Man of the Hour quando confronta as histórias fantasiosas do pai e o ceticismo do filho que sempre está contestando algo, como também o desenvolvimento da liberdade de pensar e fazer o próprio caminho em Into the Wild. Tudo isso serviu para inspirar The End, que apesar do título não tem a pretenção de encerrar, mas sim incorporar de vez a filosofia de vida “A unica constante é a mudança”.

E encerra com um anúncio de uma mudança que se chama despedida. Deixando um gosto de quero mais, já que o álbum possui apenas 11 faixas e aproximadamente 33 minutos, muito pouco para quem espera a cada 2 anos por um álbum do pearl jam.

h1

In the days before you were young, we used to sit in the morning sun we used turn the radio on, what happen?

setembro 29, 2008

Ser ou não Ser

Hamlet: Ser ou não ser, essa é a questão: será mais nobre suportar na mente as flechadas da trágica fortuna, ou tomar armas contra um mar de obstáculos e, enfrentando-os, vencer? Morrer — dormir, nada mais; e dizer que pelo sono se findam as dores, como os mil abalos inerentes à carne — é a conclusão que devemos buscar. Morrer — dormir; dormir, talvez sonhar — eis o problema: pois os sonhos que vierem nesse sono de morte, uma vez livres deste invólucro mortal, fazem cismar. Esse é o motivo que prolonga a desdita desta vida.

William Shakespeare, in “Hamlet”

h1

You say you want a revolution Well, you know We all want to change the world…

junho 19, 2008

252826612_36a0c527b5 Night at the Pulpit Rock_O

 

Cemeteries of London:

At night they would go walking ’till the breaking of the day
The morning is for sleeping
Through the dark streets they go searching to see god in their own way
Save the night time for your weeping
Your weeping

Lost?

Just because I’m losing
Doesn’t mean I’m lost
Doesn’t mean I’ll stop
Doesn’t mean I would cross

Just because I’m hurting
Doesn’t mean I’m hurt
Doesn’t mean I didn’t get
What I deserved
No better and no worse

I just got lost
Every river that I tried to cross
Every door I ever tried was locked
Ohhh and I’m…
Just waiting ’til the firing stop

42

Time is so short
and I’m sure,
there must be something more.

Lovers in Japan (Acoustic)

Lovers, keep on the road you’re on
Runners, until the race is run
Soldiers, you’ve got to soldier on
Sometimes even right is wrong

They are turning my head out
To see what I’m all about
Keeping my head down
To see what it feels like now
But I have no doubt
One day the sun will come out

Yes

When it started we had high hopes;
now my back’s on the line, my back’s on the ropes…
When it started we were alright,
but night makes a fool of us in daylight.

Viva La Vida

I used to roll the dice
Feel the fear in my enemy’s eyes
Listen as the crowd would sing:
“Now the old king is dead! Long live the king!”
One minute I held the key
Next the walls were closed on me
And I discovered that my castles stand
Upon pillars of sand, pillars of sand

Violet Hill

When the future’s architectured
By a carnival of idiots on show
You’d better lie low

Strawberry Swing

Now the sky could be blue
I don’t mind
Without you it’s a waste of time

Death and all his friends

So come over, just be patient, and don’t worry.

No I don’t wanna battle from beginning to end;
I don’t wanna cycle, recycle revenge;
I don’t wanna follow death and all his friends.

h1

Over the sea and far away She’s waiting like an Iceberg Waiting to change But she’s cold inside She wants to be like the water.

junho 4, 2008

Elementos de Vitória
Estão cheias as livrarias de todo o mundo de livros que ensinam a vencer. Muitos deles contêm indicações interessantes, por vezes aproveitáveis. Quase todos se reportam particularmente ao êxito material, o que é explicável, pois é esse o que supremamente interessa a grande maioria dos homens.

A ciência de vencer é, contudo, facílima de expor; em aplicá-la, ou não, é que está o segredo do êxito ou a explicação da falta dele. Para vencer – material ou imaterialmente – três coisas definíveis são precisas: saber trabalhar, aproveitar oportunidades, e criar relações. O resto pertence ao elemento indefinível, mas real, a que, à falta de melhor nome, se chama sorte.

Não é o trabalho, mas o saber trabalhar, que é o segredo do êxito no trabalho. Saber trabalhar quer dizer: não fazer um esforço inútil, persistir no esforço até o fim, e saber reconstruir uma orientação quando se verificou que ela era, ou se tornou, errada.

Aproveitar oportunidades quer dizer não só não as perder, mas também achá-las. Criar relações tem dois sentidos – um para a vida material, outro para a vida mental. Na vida material a expressão tem o seu sentido directo. Na vida mental significa criar cultura. A história não regista um grande triunfador material isolado, nem um grande triunfador mental inculto. Da simples “vontade” vivem só os pequenos comerciantes; da simples “inspiração” vivem só os pequenos poetas. A lei é uma para todos.

Fernando Pessoa, in ‘Teoria e Prática do Comércio’